Cesto de Compras
0 itens
€ 0,00

 
     
   
António Madeira
Antonio Madeira Colheita 2014
 
Dão, Portugal

  A Historia ensina-nos que o Dão pertence a aqueles sítios que o Homem, desde há muito, reconheceu como sendo predileto para a produção de grandes vinhos.  Apesar de apresentar enorme potencial para a produção de grandes vinhos tintos e brancos de guarda, talvez o maior de Portugal, é uma região que teima em ficar no escuro, longe dos holofotes.

É também uma região que tem vindo a destruir o seu património de vinhas velhas, vinhas recheadas de castas autoctones, hoje em dia praticamente esquecidas. Vinhas que vão desaparecendo com os seus donos.

Antonio Madeira, francês luso-descendente , tem as suas raízes familiares no sopé da Serra da Estrela, sub-região do Dão. Nestas terras altas, Antonio acredita que se encontra o coração histórico do Dão, a zona que apresenta maior potencial para vinhos de guarda, a zona onde os vinhos se mostram mais finos, frescos, austeros e  minerais.

Desde 2010, Antonio Madeira tem vindo a pesquizar nesta sub-região os sítios que os nossos antepassados elegeram como os melhores para vinha, aqueles que poderíamos chamar de « Grands Crus do Dão serrano ». Tem assim vindo a encontrar uma serie de vinhas velhas que se destacam pela genuinidade das suas castas, pela características e nuances dos seus solos graníticos onde mergulham profundamente as suas raízes e pelas exposições solares.Entre elas, esta a vinha que da origem a este vinho. Trata-se de uma vinha com 50 anos salva do abandono, depois de não ter sido podada durante 3 anos. Em 2010, ano do salvamento, em 1 ha obteve-se apenas 80kg de uva. Como tal, não houve engarrafamento.2011 é por isso a primeira colheita deste vinho que visa a divulgar o Dão Serrano e as suas castas autoctones.   

Vinificação

A filosofia de vinificação esta focada na procura da expressão do terroir da Serra da Estrela. Como tal, não foi utilizado nenhum produto enológico a não ser o sulfuroso.

A fermentação alcoólica realizou-se naturalmente com as leveduras indígenas, em dornas. Procurou-se pouca extracção, trabalhando-se por « infusão » na procura da elegância e finesse característica da região. A temperatura de fermentação foi regulada com sacos de gelo e o frio das noites serranas.

Depois de prensado, o vinho passou directamente para cubas inox e barricas usadas de carvalho francês, onde realizou a fermentação maloláctica até a primavera seguinte e estagiou durante 18 meses. O engarrafamento foi efectuado em Agosto de 2016.

 

António Madeira





 
   
 
A acompanhar...
 
Não precisa de ser decantado.
Guardar por mais de 5 anos.
  12,68
IVA incluído (13%)
ADICIONAR AO CESTO

 
 
2014
Vinho Tinto
13,5% vol
 
 
138
750 ml